Mossoró Cidade Junina

MCJ: 15 anos da maior festa junina do Brasil

Panorâmica Cidade Junina

As pessoas que gostam de festejos juninos, comidas típicas, forró, atividades culturais e gente bonita têm o lugar certo para se divertir durante o mês de junho: Mossoró. A cidade fica localizada na região Oeste do Rio Grande do Norte, distante 282 quilômetros da capital Natal. O município realiza há 15 anos o Mossoró Cidade Junina, considerado um dos maiores arraiás Brasil, hoje mais que uma festa junina, patrimônio dos mossoroenses.

OMCJ compreende um mix de atrações culturais que acontece, que em 2011 acontece de 4 a 28 de junho no Corredor Cultural da Avenida Rio Branco. Grandes shows de música regional, quadrilhas juninas, feiras de artesanato, comidas típicas e muitos atrativos, com o capricho da gente nordestina.

O palco principal do Mossoró Cidade Junina é a Estação das Artes Eliseu Ventania – antiga estação ferroviária – e outros ambientes do Corredor Cultural, da Avenida Rio Branco. Somente o espaço da Estação das Artes abrange mais de 48 mil metros quadrados, onde são montados palcos, camarotes, arenas, barracas, o circo do forró, bares e restaurantes.

É nessa estrutura que se apresentam mais de 100 grupos musicais de caráter nacional, regional e local. Bandas como Aviões do Forró, Forró do Muído e a banda Parangolé participam da edição 2010 do evento, além de várias outras atrações que fazem sucesso na região como Dorgival Dantas, Cavaleiros do Forró e Saia Rodada. Os famosos trios de forró pé-de-serra também têm espaço garantido no Cidade Junina, onde mais de 70 grupos fazem a festa no Circo do Forró e nas Ilhas de Forró espalhadas pela Estação das Artes.

Em outras praças do Corredor Cultural acontecem atividades culturais como festivais de quadrilhas juninas, encontros de sanfoneiros, shows de humor e muito mais. A cidade se reveste de alegria com a decoração especial que é fixada nas principais ruas e avenidas, transformando Mossoró em um imenso arraial, uma verdadeira cidade junina.

A expectativa para este ano é que mais de 1 milhão de pessoas participem do evento, que acontece durante o mês de junho. Pessoas não só de Mossoró, mas de cidades vizinhas e turistas de várias regiões do País.
O Cidade Junina aquece a economia da cidade em vários setores: comércio, hotelaria, gastronomia e trabalhadores informais, que têm uma renda extra no período da festa.

Os hotéis registram uma taxa de ocupação média de 85%, chegando a atingir a capacidade máxima nos finais de semana. No comércio varejista, é o segundo melhor período de vendas, ficando atrás apenas do ciclo natalino.

Todas as atividades do Mossoró Cidade Junina são gratuitas, com segurança e comodidade, mas para quem quer ainda mais conforto, o evento disponibiliza dois tipos de camarotes: o primeiro individualizado com capacidade para trinta pessoas e o segundo, um super camarote com capacidade para mais de duas mil pessoas, com praça de alimentação, boate climatizada e palco para shows exclusivos.

Portanto, no mês de junho Mossoró vira roteiro obrigatório para quem busca diversão e valorização numa festa diversificada e única: o Cidade Junina. Vamos participar!

Uma história de resistência contada através da arte

Chuva de BalaO Chuva de Bala no País de Mossoró é um espetáculo encenado ao ar livre e conta a história de bravura e de resistência dos mossoroenses ao bando de Lampião. O fato aconteceu no ano de 1927 e é encenado em um cenário real, a Capela de São Vicente, mesmo local da batalha travada entre resistentes e cangaceiros. O Chuva de Bala tem em seu elenco atores mossoroenses e dramatiza os principais atos do confronto.

O espetáculo é dirigido pelo teatrólogo potiguar João Marcelino.

Hoje, é quase impossível falar sobre o Mossoró Cidade Junina e não fazer referência ao Chuva de Bala, que em 2011 chega à sua 10ª edição, consagrado pelo público e reverenciado pela crítica especializada.

O espetáculo cresceu e ganhou uma proporção gigantesca, com forte destaque na mídia nacional.

Além de 60 atores em palco, o Chuva de Bala tem em seu elenco crianças do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e participação especial de atiradores do Tiro de Guerra 07-010.

Atores e figurantes se revezam no palco de 510 m², montado no adro da Capela. Em junho, chove cultura em Mossoró.

Atividades culturais são o diferencial do Mossoró Cidade Junina

Burro TáxiA cultura do homem nordestino é bastante rica e diversificada e tem espaço assegurado no São João de Mossoró. Os festejos juninos da cidade não se resumem apenas aos grandes shows de forró. Durante a festa as expressões da cultura popular nordestina são enaltecidas em trinta projetos culturais. Eventos que resgatam tradições do sertanejo e inova, aliando tecnologia, como é o caso do Cinema na Roça, onde uma sala de cinema é montada dentro da estação das artes para a exibição de clássicos do cinema nacional e internacional, com seções para o público adulto e o infantil.

Antes mesmo de a festança começar acontece o Arraial nas praças da cidade, quando a população começa a entrar no clima da festa e despertar para o início do São João. Quadrilhas Juninas percorrem todos os bairros, levando alegria às regiões mais carentes do município.
O Mossoró Cidade Junina reúne também artistas da terra como poetas, repentistas e sanfoneiros. Durante o evento, vários festivais são desenvolvidos para fomentar a cultura da região.

O que acontece?

ARRAIÁ DA MELHOR IDADE
ARRAIÁ NAS PRAÇAS
BOTANDO BONECO
BURRO TÁXI
BRINCANDO COM TOINHO, JOÃOZINHO E PEDRINHO
BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS POPULARES
CINEMA NA ROÇA
COMBOIO JUNINO
CONCURSO DE MAQUETE JUNINA
CONCURSO DE PENTEADO JUNINO
CONCURSO DE REIS E RAINHAS M.C.J.
CIRCO DO FORRÓ
CIDADELA
CHUVA DE BALA NO PAÍS DE MOSSORÓ
DECORAÇÃO
ENCONTRO DE PÍFAROS E CABAÇAIS
FEIRA DE ARTESANATO E COMIDAS TÍPICAS
FESTIVAL DE QUADRILHAS JUNINAS
FESTA DA COLHEITA
FESTIVAL CANTA SANFONA
FESTIVAL DE POETAS REPENTISTAS
FÓRMULA JEGUE
FÓRUM DO CANGAÇO
MEMORIAL JAZZ
PAU DE ARARA ELÉTRICO
SEMINÁRIO DE CULTURA POPULAR
SORRINDO NO SÃO JOÃO
SHOWS MUSICAIS
TV JUNINA

Mais de 300 grupos fazem o maior festival de Quadrilha Junina do Nordeste

Festival de quadrilhasUm misto de tradição e modernidade culturais. Dessa forma, defini-se o Festival de Quadrilhas Juninas, um dos grandes projetos do Mossoró Cidade Junina. O concurso é um dos maiores do Brasil, no gênero, em participação de quadrilhas juninas e premiação. Em 2010 serão mais de 300 participantes.
O concurso é disputado em uma arena coberta de 1.500 metros quadrados, sendo 405 metros quadrados de arquibancada e 450 metros quadrados de área para as apresentações. A exemplo de edições anteriores, a estrutura tem capacidade para duas mil pessoas.
O calendário de atividades do Festival de Quadrilhas foi definido pela Gerência de Cultura e acontecerá entre os dias 9 e 27 de junho. Para este ano, a Gerência estima a participação de 300 quadrilhas juninas, nas categorias Escolar, Infantil Estilizada, Infantil Tradicional, Adulto Tradicional Municipal, Adulto Estilizada Municipal, Quadrilhas da Zona Rural, Quadrilhas da Melhor Idade, Interestadual Tradicional e Interestadual Estilizada.

 

 

(Assistir)

(Assistir)

(Assistir)

Agência: Art&C
Produtora de vídeo: Ginga Filmes
Produção: Touché
Ilustração/Animação: Três Caras (PE)
Produtora de Áudio: Sucesso Jingles
Dura&cced (Assistir)

Maior São João do Mundo – 2011

Conheça os números que fazem do São João de Campina o Maior do Mundo

31 dias de Festa
Investimento de R$ 6,3 milhões
Expectativa de 02 milhões de público
Estimativa de gerar cerca de 10 mil empregos diretos e indiretos
Mais de 90 artistas se apresentando no Palco Principal
Mais de 500 atrações
Mais de 1.000 horas de forró
10 Polos de diversão (Parque do Povo -Arraial Hilton Mota, 03 Ilhas de Forró e a Pirâmide-, Galante, São José da Mata, Vila do Artesão, Feira da Prata e Expresso Forroviário)
160 Quadrilhas juninas em mais de 350apresentações
Apresentação de mais de 160 trios de forró
100 noivos no Casamento Coletivo
Parque do Povo com 42,5 mil m² de área
03 ilhas de forró
150 barracas
98 quiosques
80 camarotes
100 banheiros químicos
03 baterias de banheiros fixos
Pirâmide com capacidade 8.000 para pessoas
200.000 bandeirolas em toda área do Parque do Povo
50.000 bandeirolas só na decoração  da parte interna da Pirâmide
Fogueira gigante com 18 m de altura
50 câmeras de monitoramento eletrônico
1.000 policiais garantindo a segurança da festa
Show pirotécnico com 1,5 toneladas de fogos de artifício.
.
Joyce Camêlo
.
.
Conheça Campina Grande

   Estátuas de Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga localizadas no Açude Velho

 jackson_luiz.jpg

Cidade de características marcantes, Campina Grande acumula sobre toda sua trajetória conquistas que lhes evidenciam por seu potencial congênito.
Geograficamente privilegiada, situada bem no centro do estado da Paraíba, a Rainha da Borborema é uma cidade-pólo, liderando geográfica e politicamente outros aproximadamente 60 municípios ao seu redor.

Campina apresenta condições de acesso às principais cidades do Nordeste, pois fica distante apenas, em média, 150 quilômetros de cidades como João Pessoa, Recife, Natal, dentre outras.

Com cerca de 400 mil habitantes, a maior cidade do interior do Nordeste destaca-se economicamente no setor da prestação de serviços, no comércio e é uma forte referência na produção de tecnologia, fabricando softwares vendidos para várias partes do mundo, com reconhecida qualidade tecnológica e funcional. Hoje a cidade se apresenta como uma excelente formadora de mão de obra especializada, principalmente na área tecnológica, graças às suas cinco universidades, com cursos, sobretudo, na área de Ciência & Tecnologia.

Grande por natureza, Campina segue no caminho do desenvolvimento destacando-se como o ‘Município mais Dinâmico do Brasil’, segundo o Atlas do Mercado Brasileiro 2007 elaborado pelo jornal Gazeta Mercantil, e como uma das melhores cidades do Brasil para construir carreira profissional na pesquisa divulgada pela revista Você S/A.

Terra de um povo hospitaleiro e de clima frio e aconchegante, teve sua belezas cantadas por grandes nomes da música nordestina, a exemplo de Jackson do Pandeiro que dizia assim: ‘Ó linda flor, linda morena. Campina Grande, minha Borborema’.

Fonte: São João de Campina